quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Retrô VideoClíptco 2010: Peladões

Essa é a 3ª parte da retrospectiva videoclíptica de 2010:

Nesse ano que se acabou, reparei que muita gente resolveu tirar a roupa em pról da arte videoclíptica.
Achei muito libertador, os diretores usaram a criatividade e sem vergonha nem pudor mostraram as partes mais íntimas de uma forma tão linda.
São clipes bem provocantes, portanto, não vai pegar bem se seu chefe ou sua avó os virem assistindo. Mas foda-se, é só o corpo humano.

Dê play em todos eles e veja a carne nua e toda sua plenitude!


Inspirada por Matt & Kim, Erykah Badu transformou a nudez em uma crítica política e social, e defendeu o direito da mulher sob seu próprio corpo: [veja + aqui]

Erykah Badu
"Window Seat"
New Amerykah, Pt. 2: Return Of The Ankh
dir: Erykah Badu


Um casal jovem e atraente deu o dedo médio para a responsabilidade e o capitalismo, e abraçou a liberdade alimentada pelo sexoe foram pr'um passeio por todo o país. Infelizmente, eles logo percebem que o dinheiro realmente manda em tudo ao seu redor e as coisas tomam um rumo em direção à uma feia escuridão. Talvez, um trocadilho com o título da música defina o clipe: "Ninguém vai te amar, mas todo mundo vai usar."







Cee-Lo Green
"No One's Gonna Love You"

The Lady Killer

dir: Skinny



Então, crianças, é assim que fazemos os bebês:

Seal
"Secret"

Commitment

dir: NABIL




Alguns grupos estranhos precisam alimentar a Vagina-Deus com uma pintura de sangue: Sádico? Só um pouco:

The Flaming Lips
"The Sparrow Looks Up At The Machine"
Embryonic
dir: Wayne Coyne and George Salisbury



Prontos pra hora do sexo? Desconfortante e transgressivo sexytime, só um pouco Sado-Masoquista, não muito.:

Devendra Banhart
"Foolin'"

What Will We Be

dir: Isaiah Seret


“Hurricane" é tipo uma meditação sobre a violência do sexo e sobre o sexo da violência.
São 14 minutos de cenas consideradas muito sexy e violentas para serem exibidas na TV norte-americana. Não achei nada tão erótico, olha só:

30 Seconds To Mars
"Hurricane"

This Is War

dir: Bartholomew Cubbins & Jared Leto



A pegação lesbiana rolou em luzes negras iluminando as cores flourescentes/neon! Lindo:

Mr. Flash
"Flesh"
Sweat & Tears EP
dir: Cédric Blaisbois



A pirâmide humana do amor formada por todos os amantes:

Kylie Minogue
"All The Lovers"
Aphrodite

dir: Joseph Kahn



Mostrando de forma alucinante, tétrica e hipnótica uma investigação, uma denúncia e um alívio: a prova de que podes encontrar perversidade nos mais santos, comportados e moralistas dos seres humanos e que é nesses onde o fogo mais arde. Ui! Qual a sua fantasia sexual? [leia + aqui]

Scissor Sisters
"Invisible Light"
Night Work
dir: Nicolas Mendez


O universo de acordo com o músico espanhol El Guincho e o diretor Nicolas Mendez é musical, sexy e estranhamente selvagem. Instituído como alguns filmes antigos bizarros de ensino sexual onde o erotismo permeia inocentes a cada poro, "Bombay" é a prova de que mostrar os seios é de uma beleza encantadora!
OK. Boemia:

El Guincho
"Bombay"

Pop Negro

dir: Nicolas Mendez


À medida que os Klaxons ficam cada vez mais íntimos com o grupo de mulheres, seus corpos literalmente começam a se conectar, formando novos tipos de seres que são meio-homem / meio-mulher, ou uma combinação de várias partes do corpo. É meio como a Centopéia Humana. Eu acho muito mais bonito do que grotesco. E você?

Klaxons
"Twin Flames"

Surfing The Void

dir: Saam Farahmand



Um fetiche ou um banquete? Já experimentou sexo com macarrão?

Grum
"Can't Shake This Feeling"
dir: The General Assembly



Que o Nick Cave é chegado numa necrofilia já sabia, mas o que é esse clipe? Tem desde romanos que soltam laser pelos olhos à um lobisomem tarado. Será tudo fruto da imagiação da moça que tá tomando banho? Veja:

Grinderman
"Heathen Child"

Grinderman 2

dir: John Hilcoat



Se o Todo-Poderoso tivesse numa onda de LSD talvez tenha sido assim a criação de Adão e Eva e o resto da natureza:

Skream
"Listenin' To The Records On My Wall"
Outside The Box

dir: David Wilson


Kanye West e o diretor italiano Marco Brambilla tentaram recriar uma pintura de Michelangelo e o resultado é uma pintura em movimento incrível, onde o sexo é mostrado como uma divindade:

Kanye West
"Power (Vr. 2: Director's Cut)"
My Beautiful Dark Twisted Fantasy
dir: Marco Brambilla


E pra encerrar a lista dos peladões, apresento o mais sinistro clipe de 2010 e te aviso: cuidado com quem você pega numa balada e vai pra cama sem nem saber o nome: vai saber se essa pessoa não é uma comedora de homens (literalmente):

Huoratron
"Corporate Occult"

dir: Cédric Blaisbois



"Tirar a roupa em público é a forma mais bela que existe para se matar o ego..."

Retrô VideoClíptico 2010: Enigmáticos

Essa é 2ª parte do Retrô VideoClíptico 2010 e dessa vez, relembraremos dos clipes cheios de mistérios, simbolismos, ocultismos e alfinetadas, que tenho certeza que você entenderá depois de assistí-los.
Com vocÊs, meus caros e únicos amigos, os clipes que te deixaram com a pulga atrás da orelha e cheios de dúvidas. Bota a cachola pra funcionar, tente desvendar os enigmas e vem comigo, vem?


É um jogo? Qual é a missão do índio no espaço cósmico? Que passa? Tente responder:

Flying Lotus
"MmmHmm"

Cosmogramma

dir: Special Problems


Tente entender as formas de poder que vão da Monarquia à Criptocracia: [saiba o que entendi]

Triángulo De Amor Bizarro
"De La Monarquía A La Criptocracia"
Año Santo
dir: Luis Cerveró



Seguindo a inspiração do livro "1984" vamos aprender a destruir o Grande Irmão. Quem? [saiba mais]

Juakali
"Dem City (Nate Mars Remix)"
Come From Yard
dir: Secret History


Os mistérios do Ocultismo e suas ceitas: [saiba +]

Portugal. The Man
"Guns And Dogs"
American Ghetto
dir: Michael Ragen


Clericais e outros pedaços da regalia católica, em forma de serenata para uma zumbi nos abismos do inferno. Entendeu? [tem + aqui]

Violens
"Violent Sensation Descends"
Amoral
dir: Alejandro Cardenas


O homem que foi condenado à morte por amar duas irmãs ao mesmo tempo. Mas há algo de terrível sendo planejado pelos amantes: [veja +]

CocoRosie
"Gallows"
Grey Oceans
dir: Emma Freeman


A mais nova forma de manipulação de pessoas:

Interpol
"Lights"
Interpol
dir: Charlie White


Misteriosamente, houve um assassinato e em seguida, o fogo queima tudo. Mas há quem pareça tranquilo demais. Tente entender;
Junto com a atmosfera sombria da música, esse é um mistério que faz bem pros olhos e ouvidos:

How To Destroy Angels
"The Space In Between"
The Space In Between EP
dir: Rupert Sanders


É bruxaria? Satanismo? Simbolismo? Ocultismo? Rock 'n' Roll? Palpite:

The Dead Weather
"Die By The Drop"
Sea Of Cowards
dir: Floria Sigismondi


Em uma casa cercada por árvores, Mohini tenta respirar em um saco de plástico para acalmar sua ansiedade - que está sendo assombrada por visões de Cristo, vodka, e uma projeção de sua alma como uma criatura estranha.
Sozinha em um carro com essa forma surreal de suas funções vitais do organismo, ela tenta escapar de sua escuridão.


Mohini Geisweiller
"Milk Teeth"
Dir. Danakil


E então, sem medo nem dúvidas religiosas, quê que vc achou e entendeu dessas cultos em forma de clipes?

Retrô VideoClíptico 2010: ANIMADOS

Em 2010, na arte videoclíptica, muitas obras extraordinárias e super criativas surgiram e pra não passar o fim do ano em branco, resolvi fazer meus retrôs 2010 e puxei lá do fundo mais obscuro da memória os clipes mais fodásticos que vi, nesse que foi um ano bem divisor.
Nos próximos dias vou postando as "listinhas" que adoro fazer e curta comigo o melhor de 2010... vem, vamos ver a cara das músicas que te embalaram nesse ano!

Pra começar, faremos um review nos clipes animados, onde não há barreiras pra criatividade e sempre sai algo realmente pra aplaudir de pé!


O video game influenciou bastante na criação das animações, nesse ano.

Num joguinho bem gangster, tipo GTA, os rappers do Das Racist foram convocados pra substituirem o Jay-Z e o Justin Bieber, que morreram quando um meteoro caiu na cabeça deles no meio do show. A missão é chegar ao local do show:

Das Racist
"Who's That? Brooown!"

Sit Down, Man!

dir: Thomas De Napoli



A representação da morte e da violência como um espetáculo que adoramos ver: [mais sobre o clipe aqui]

Flying Lotus
"Kill Your Co-Workers"

Pattern + Grid World EP

dir: Beeple


Inspirado pelos clássicos do videogame como Final Fantasy, Zelda, Super Mario Bros. e Mario Madness, Mark Ronson misturou tudo e fez esse clipe:

Mark Ronson & The Business Int'l
"Circuit Breaker"

Record Collection

dir: Jordan Galland e Gary Breslin



Pra trilha sonora de TRON: Legacy, o Daft Punk voltou à ativa e mostrou como se joga: [saiba mais aqui]

Daft Punk
"Derezzed"

TRON: Legacy OST

dir: Warren Fu


Um coelho gigante morto, no meio de uma grande metrópole. Por que?

Massive Attack feat. Horace Andy
"Splitting The Atom"

Heligoland

dir: Edouard Salier


O coelho gigante só tava fugindo da fúria do homem. Mas correu pro lugar errado:

Massive Attack
"Atlas Air"

Heligoland

dir: Edouard Salier



A história do Menino Cinza, que acabou com a escravidão numa fazenda: [saiba mais aqui]

Brother Ali
"Breakin' Dawn"
Us
dir: Chris Gliebe



Pro N.A.S.A., sagrado e profano é tudo a mesma coisa: [leia mais sobre o video aqui]

N.A.S.A. feat. Karen O, Ol' Dirty Bastard & Fatlip
"Strange Enough"

The Spirit Of Apollo

dir: Lorna T & Studio Giblets



Mr. Scruff combinou forças com Kirsty Almeida, uma aranha enorme no Bassline, frascos de picles e pronto! Deu nisso:

Mr. Scruff vs. Kirsty Almeida
"Pickled Spider"
Chicken! A Box

dir: Mr. Scruff




A viagem da gatinha que mascou o chiclé alucinógeno voador: [saiba mais]

Clinic
"Bubblegum"

Bubblegum

dir: Alasdair & Jock



A piração ilustrada transformista:

The Japanese Popstars feat. Green Velvet
"Let Go"

We Just Are
dir: David Wilson



DENÚNCIA: A escravização e decepação de mãos pra satisfazer um bicho que adora levar palmadas:

Benga
"Baltimore Clap"
Phaze One

dir: Kristofer Strom



A linda viagem cósmica ou pela natureza, com uma trilha bem confortante da banda portuguesa :papercutz : [saiba + aqui]

:papercutz
"Lylac (Helios Remix)"

Do Outro Lado Do Espelho (Lylac Ambient Reworks)

dir: Dahiel Shibata


Uma explosão de cores e sensações que te deixa meio tonto:

Teengirl Fantasy
"Cheaters"

7AM
dir: IASOS



A ilustração de pessoas e A explosão de cores continua:

Breakbot feat. Irfane
"Baby, I'm Yours"

Baby, I'm Yours EP

dir: Irina Dakeva


E as bundas femininas pra encerrar a primeira lista dos melhores de 2010:

Sebastien Tellier
"Look"
Sexuality
dir: Mrzyk & Moriceau

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Não Atire em Mim, Seu Noel

O verdadeiro bom velhinho mostrou sua vibe possessiva e cruel: sequestrdor capitalista!


The Killers
"Don't Shoot Me, Santa"
Single

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

É Verão, Mermão!

Hoje (21/12/10) começa oficialmente o verão, meus caros e únicos amiguinhos. A estação mais insuportável pra minha pessoa: ataques de pernilongos famintos, calor insuportável, garganta seca a todo momento, as pessoas suam mais e por isso fedem mais, caem chuvas catastróficas, os dias ficam mais longos, o sol irrita com sua gritaria que queima a pele... O lado bom é que a cerva fica melhor, as pessoas andam com menos (ou sem) roupa e tomo mais banhos (hehe)...

Pra comemorar tantos raios UV penetrando a pele, segue uma "listinha" de videoclipes ensolarados, felizes e calientes que te farão suar baldes e te fazer querer beber litros gelados.
Vem comigo:


Pegar a estrada com um Fusca cheio de gente: bom ou ruim?

China
"Canção Que Não Morre No Ar"
Simulacro
dir: Eric Laurence


Dependendo da compania, a viagem pela estrada é ótima!

Little Joy
"Next Time Around"
Little Joy
dir: Marcela Amarante


Ainda mais se a viagem for no Fusquinha da linda Joss Stone. Queria muito dar um rolê com ela... ai ai:

Joss Stone
"Don'cha Wanna Ride?"
Mind, Body & Soul
dir: Wayne Isham



Qual é o primeiro lugar que vem na cabeça dos bons brasileiros quando escutam a palavra FÉRIAS?

Cachorro Grande
"Bom Brasileiro"
Pista Livre
dir: Ricardo Spencer


A trilha sonora perfeita pra uma tarde de verão regada à boa prosa e cerveja geladinha:

Red Hot Chili Peppers
"Road Trippin'"
Californication
dir: Jonathan Dayton & Valerie Faris


Fica tudo "tão muito sexy demais" no verão, né? Acho que é a estação que as pessoas mais "gozam":

Aerosmith
"Girls Of Summer"
O, Yeah! Ultimate Aerosmith Hits
dir: Dave Meyers


O violão, a maré, a brisa e o surfista:

Jack Johnson
"You And Your Heart"
To The Sea
dir: Emmet Malloy


O banho de mar:

Sheryl Crow
"Soak Up The Sun"
dir: Wayne Isham


Ah, coitado de você que vai à praia se bronzear e esquecer dos problemas do mundo e vê que eles te seguiram até a areia onde você ora a bunda e se torra: Não há intenção de atrapalhar suas férias!

Manic Street Preachers
"So Why So Sad"
Know Your Enemy
dir: Jamie Thraves


O sol continua brilhando:

311
"Amber"
From Chaos
dir: The Malloys


O sol continua shinin' yellow:

Mallu Magalhães
"Shine Yellow"
Mallu Magalhães 2
dir: Rodrigo Pesavento


Seu escritório é na praia? No verão todos nós ficamos com uma vibe vagabunda:

Charlie Brown Jr.
"Zóio D'Lula"
Preço: Curto... Prazo: Longo
dir: João Araújo



Amores de verão:

Colbie Caillat
"Fallin' For You"
Breakthrough
dir: The Malloys


Já decidiu pra onde vai nas férias? Sugiro a Ilha do Amor:

Kid Abelha
"Te Amo pra Sempre
Meu Mundo Gira Em Torno De Você
dir: Flávio Colker


No céu em degradê:

ForFun
"Sol Ou Chuva"
Polisenso
dir: Edu Monteiro e Daryan Dornelles


Aprecie as paisagens, sinta a brisa no rosto e cante pro sol:

Cabana Café
"Garoa"
dir: Oscar Segovia e Zellino Lanfranchi

A visita do mini-Bob ao Hawaii. Lá que ele começou a construir sua ohana:

Bob Marley
"Waiting In Vain"
Legend

No Rio o clima é de verão o ano inteiro, diz Miss Elza:

Elza Soares
"Rio De Janeiro"
Vivo Feliz!
dir: Bijari


No verão, as cores ficam mais reluzentes e a beleza das coisas é realçada. Vide Joss Stone:

Joss Stone
"Super Duper Love"
The Soul Sessions
dir: David LaChapelle

E não temos só a praia como opção de lazer nas férias de verão:

Two Door Cinema Club
"Something Good Can Work"
Tourist History
dir: One In Three


Que calor! Cadê o sorveteiro?

Smashing Pumpkins
"Today"
Siamese Dream
dir: Stéphanie Sednaoui

O bom mesmo é dormir o dia todo, porque verão dá tanta moleza que dá vontade de deixá-lo pra mais tarde:

Mariana Aydar
"Deixa O Verão"
Kavita 1
dir: Douglas Kuruhma


No fim, você vai voltar pro trabalho de novo e ficar relembrando o verão passado:

Groove Armada
"My Friend"
Goodbye Country, Hello Nightclub
dir: Adam Berg


Por isso, no verão não vou pra praia nenhuma, não vou torrar num sol 40ºC, não vou ter um amor de verão, nem essas coisas. Vou ficar por aqui e fazer um simples pic-nic. Você tá convidado, colaê:

Rosie And Me
"Bonfires"
dir: Nathália Tereza e Rodriane DL


Tá quente aí?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Estupre seu pudor

Que o Scissor Sisters é uma banda nada discreta você já deve saber. Se não sabia nem da existência desses exús da música de buatchy, o clipe de "Invisible Light" já é um ótimo começo.
Perfeito pra acabar com todo seu pudor e arrancar a vergonha até do seu fígado, essa obra quase erótica do diretor Nicolas Mendez (ele é craque em envolver sexo nos clipes) mostra de forma alucinante, tétrica e hipnótica uma investigação, uma denúncia e um alívio: a prova de que podes encontrar perversidade nos mais santos, comportados e moralistas dos seres humanos e que é nesses onde o fogo mais arde. Ui!
Dá play nessa enxurrada de sexo contrastando com violência, e obrigando a pobre moça a queimar todo o seu pudor:



Scissor Sisters
"Invisible Light"
Night Work
dir: Nicolas Mendez

A Concepção tecnológica

Only Son (aka Jack Dishel) e sua esposa são apresentados à uma nova forma de reprodução humana, que mostra sem contato algum (sexo) que a tecnologia (quem sabe um dia) consegue conceber um filho pro casal a partir de amostras de DNA extraídas por uma máquina super hi-tech, comandada por um cientista picareta. O filho resultante dessa experiência mais se parece com o cientista do quê com o Dishel.
O clipe foi dirigido por Peter Sand, que trabalhou junto a Michel Gondry na concepção de várias de suas incríveis obras videoclípticas. Simples e hi-tech ao mesmo tempo:


Only Son
"It's A Boy"

Searchlight
dir: Peter Sand

Isso aí é Hi-tech?

Quem melhor do que o robótico duo eletrônico Daft Punk pra fornecer a trilha sonora para o mais hi-tech filme de 2010: TRON? E quem melhor pra dirigir do que o japa Warren Fu, cuja videografia apresenta as mais variadas imagens sci-fi da arte videoclíptica? Você pode até achar que as imagens do clipe foram retiradas do filme, mas não! Warren Fu concebeu e criou quase tudo. Tecnologia digna de replays:

Daft Punk
"Derezzed"
TRON: Legacy OST
dir: Warren Fu

A Família Pitty

Estreiou hoje no MTV Lab Radio o clipe novo da Pitty, da música "Só Agora". O clipe foi filmado no feriado de 15 de novembro numa chácara em SP. Mais um clipe dirigido por Ricardo Spencer, que também dirigiu "Memórias", "Me Adora", "Déjà Vu" e o DVD "Chiaroscope".
Spencer usou uma câmera Super 8, pra dar um clima retrô pro feriado em família, num churrasco à beira da piscina cheio de brincadeiras, num clima bem íntimo com participação até dos filhos dos integrantes da banda e decoração e figurinos que lembram os anos 60. Lembra também o ano de 2004, quando assisti ao Família MTV Pitty e vi que essa família gosta mesmo é uma boa dose de álcool, uma prosa animada, bastante rock'n'roll e incomodar a vizinha chata. Digno, não?
A música é bem sentimental e narra a relação entre mãe e filho(s) e a difícil missão de deixá-los crescer e irem viver a vida. Lindo e digno de replays:


Pitty
"Só Agora"
Chiaroscuro
dir: Ricardo Spencer

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Aula de Educação Física Coreografada

Odiava as aulas de Educação Física que tinha na escola. Meus maiores constrangimentos ocorrorem durante essas aulas. Acho que obrigar os alunos a participarem os faz pegarem ódio pelo esporte. Esporte tem que ser algo que dê prazer participar e não uma obrigação. Sei dos benefícios que trazem e tals, mas Srs. professores de Educação Física, vocês não têm direito algum em obrigar os alunos a te mostrarem o quanto vocês são autoritários. Se alguns não se sentem bem jogando bola, ou por simplesmente não quererem fazer esforço físico, por que transformar isso numa tortura?

Pra tanto, o clipe novo do Temper Trap mostra o quanto uma aula de Educação Física pode ser enjoativa pra alguns e fantástica pra outros.



The Temper Trap
"Love Lost"
Conditions
dir: Dougal Wilson

ps: Os vocais desesperados são incríveis. A coreografia também! Né?

Nós fazemos nós...

... nós desatamos nós!


É incrível como chega uma hora que você percebe que por mais amado/desejado que seja, estamos todos sós. Atando e desatando nós da vida.

Nós nunca estão sós, mas nós sempre. Por mais fácil que seja nos sentirmos realizados, sempre falta dar um nó em algo e, enquanto um nó é apertado firme, outro desata e solta-se de nós com uma facilidade incrível.

A vida é isso? Uma louca vigilância aos nós que nos atam aos nós de outros seres? Por mais complexo que seja o nó dado, na outra ponta sempre terá um outro nó amarrado a um ser só.

Há coisas impossíveis de dar um nó que fique lá, amarrado pra sempre: SENTIMENTOS. Damos nós nas pessoas que amamos, mas do que adianta se os amados não dão nós em nós também?

"A vida é desfazer nós, nós de nós mesmos
E ninguém pode desfazer por nós
Por isso nós estamos sempre sós..."


Lulina
"Nós"
Cristalina
dir: Alice Riff, Daniel de Carvalho, Lucas Brandão de Oliveira,
Marcella Sneider e Paula Esteves


>>> Lulina nasceu em Recife, morou em Olinda e veio pra São Paulo. Começou escrevendo poemas na adolescência e comprando revistas de violão, aprendeu a musicá-los. Gravava seus discos em casa e saía distribuindo pra quem quisesse. Com isso, conquistou alguns fãs e depois de 8 discos caseiros e 9 anos de carreira ela finalmente lançou seu 1º disco por uma gravadora: "Cristalina", que tem uma capa bem style:

Lulina também tem um BLOG e tuíter: @lulins

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Como destruir o Big Brother

Olha só, mais um clipe inspirado no livro "1984", de George Orwell:

O electro-reggae Juakali luta para encontrar a um Big Brother digital, que abrange todos os seus movimentos em uma metrópole futurista verde-neon. Com um enxame de intrusivas pirâmides falantes e flutuantes ao redor dele, Juakali levanta voo e se infiltra em um dos principais centros nervosos da pirâmide para desativar todos os meios de propaganda e de vigilância que havia mantido todos na mira do Olho de Hórus. Incrível sonoridade e incrível vídeo, digno de replays:

Juakali
"Dem City (Nate Mars Remix)"
Come From Yard
dir: Secret History


>>> Juakali é um cantor/produtor musical de Trinidad que faz uma mistura de Dubstep, gêneros do reggae, hip hop e gêneros da música eletrônica. Super indico!

Brincando de colorir videoclipes

Esse é o primeiro videoclipe feito pra colorir. Incrível a ideia. Genial!
O diretor Eli Stonberg incorporou dentro do clipe aqueles desenhos para colorir que a gente pintava na pré-escola, mas esse é virtual, musicalizado e interativo.
Essa é a versão oficial do clipe, mas você pode fazer a sua própria obra de arte clicando aqui. Daí você pode compartilhar com seus amigos, imprimir e por em exposição na sua geladeira. Divirta-se!
Au Revoir Simone
"Knight Of Wands"
Still Night, Still Light
dir: Eli Stonberg

>>> Au Revoir Simone é um trio de meninas lindas que saíram lá de NYC. Adoram sintetizadores e fazem músicas para sonhar. Têm 3 discos lançados e um SITE lindo. Essa é a música bela, indico!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A Gatinha Bubblegum

Os clipes em animação sempre ficam bons e combinam perfeitamente com música. Com esse, não foi diferente: "Bubblegum" conta as aventuras de uma gatinha fofinha de vestido que dá um rolê por um mundo fantasmagórico cheio de rosquinhas gigantes, sabugos de milho dançantes que explodem pipocas de suas cabeças, uma floresta cheia de olhos gigantes e outras coisas surreais que fazem pirar, sabe? Devidamente alucinógeno, mas mantendo uma sincronia com o nome da música adocicada do Clinic.

Mas como sabemos, doces demais fazem mal e as bolhas de chiclé uma hora estouram... coitada da gatinha!




Clinic
"Bubblegum"
Bubblegum
dir: Alasdair & Jock



>>> Formada em 1997, em Liverpool, o Clinic teve sua música baseada no post-punk revival, mas com uma sonoridade mais eclética e peculiar, sob influências de Velvet Revolver e Suicide. "Bubblegum" já é o sétimo álbum de estúdio e é o mais pop de todos.

Eles sempre se apresentam com máscaras cirúrgicas, segundo eles, homenageando as bandas Crime e The Residents.

sábado, 4 de dezembro de 2010

EU x VOCÊ quanto que dá?

VOCÊ x VOCÊ = ____
EU x EU = ____

Sou péssimo em Matemática. Tudo que envolve contas, por mais simples que sejam, minha cabeça dá nós. Mas umas equações que já tentei resolver é essa anunciada nesse clipe embaixo d´água do Letuce: VOCÊ x EU. Quanto que dá? Uma coisa é certa: EU x VOCÊ TEM QUE DAR! Tem que dar!
Interprete como quiser o DAR, mas digo que a Potência será em dobro se não usarem proteção!
A gente não tem Química, mas pode ter Biologia, Geografia, História e nos dedicarmos à nossa Religião: o AMOR!

Vixe, viajei... dá play aê:

Letuce
"Potência"
Plano De Fuga Para Cima Dos Outros E De Mim
dir: Letuce e Caramba Sucos

>>> Letuce é uma "dupla de namorados" carioca que pariu músicas "de farra sofisticada, orgânica, diversa e transadíssima." O que significa é que eu não sei o que significa, mas gosto muito! Conhece também, fi@ e bora ouvi junto, é bão tá?

No quente... no frio...

Se dividindo entre uma atmosfera quente e outra fria e sombria, Monique Kessous caminha sem rumo à mercê do tempo, por duas estradas desertas ao mesmo tempo.
Esse lindo clipe dirigido pelo excelente Conrado Almada, tem uma fotografia simples, delicada e belíssima. Chama atenção por ser em plano-sequência duplo focando apenas uma pessoa, no caso a Monique. Digno de replays, pela canção e pelo video:


Monique Kessous
"Frio"
Monique Kessous
dir: Conrado Almada

*Monique Kessous é carioca, soprano, compõe, toca violão, guitarra, cajón, percussão... Como no clipe, ela é duas em uma!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Da Monarquia à Criptocracia

É chamado de Criptocracia (Criptocracy) o governo controlado por uma minoria que não se conhece, que não se tem acesso, que está totalmente invisível perante a sociedade que controla. Uma minoria secreta.

O termo surgiu no Egito, civilização que já era controlada por um grupo que se escondia por trás do faraó e sua hierarquia.
Esta elite era representada pelo olho de hórus e a população não sabia de fato quem eles eram, o que faziam e onde estavam.



George Orwell mencionou algo assim em seu livro intitulado “1984“, quando narrou que o Grande Irmão era quem dava as ordens, apesar de não se saber se era ele que às criava ou se ele apenas era um intermediário entre “o partido” e a sociedade.

A criptocracia descrita por Orwell, assim como a do Egito, mantinha todos sob controle absoluto.
A principal atividade do estado era a guerra.
Produzia-se para a guerra, toda a capacidade de produção era para a guerra.
A guerra era capaz de destruir tudo o que era produzido, mantendo toda a sociedade no ciclo de produção bélico, em constante insegurança e pânico, tornando-os ovelhas mais obedientes.

Guerra é paz, Liberdade é Escravidão e Ignorância é Força, diziam os signatários do partido e todos os outros que não podiam dizer o contrário. Questão de segurança nacional.

As roupas eram monocromáticas, a aproximação entre as pessoas era combatida, a produção e o consumo de chocolate eram constantemente alteradas e a vida íntima de cada indivíduo era observada por câmeras, além é claro de haver um controle absoluto sobre a história, que constantemente era alterada.

Acho que nunca estivemos tão próximos de “1984″ de George Orwell. Vivemos numa sociedade em que os direitos individuais e a legalidade estão definitivamente ameaçados, e isso me dá medo.

Fiquemos atentos para que a Criptocracia não aconteça, ou acordemos para o fato de que ela já exista, e se mantém há muito tempo.

O clipe, é uma alusão á religião, já que quem lidera é algum ser jamais visto, á quem se muito discute da existência e muito confunde os fiéis, se impondo no controle quase absoluto do religioso. É também uma crítica á toda forma de poder: da monarquia à Criptocracia. Todas falharam, falham e falharão muito ainda, por isso você pode cortar os pulsos, pois depois alguém vai vir limpar o sangue derramado.

Depois da aula, dá play no rock, baby!






Triángulo De Amor Bizarro
"De La Monarquía A La Criptocracia"
Año Santo
dir: Luis Cerveró @ CANADA





Triángulo de Amor Bizarro é uma banda indie-gallega de chicas cool-calientes lá da España que, só é compreendida ouvindo-a muitas vezes.
Seu cérebro, com o tempo, dá sua própria interpretação pras letras en español dessa banda de chicas nerbiosas que criticam la sociedad de uma forma bem prazerosa aos ouvidos cheios de cera. São letras bem intrigantes que, se você parar pra analisar, têm muito conteúdo político-sócio-cultural envolvido e embalado, num pacote só. Indico!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Lelê, por que tu foi embora?

Consegui identificar vários gêneros musicais tão diversos no som do projeto paraibano Chico Correa & Electronic Band: rock, bossa nova, baião, samba, jazz, trip hop, dub, electro, maracatu, hip hop... e outros afins. Com referências do sertão-agreste mixado ao resto do mundo, essa incrível banda me mostrou outro mundo sônico brasileiro. Digamos que é uma banda hype-indie-cool que não foge das raízes nordestinas. Ótima!

Mas pergunto: Lelê, por que tu foi embora?


ChicoCorrea & ElectronicBand
"Lelê"
ChicoCorrea & ElectronicBand
dir: Carlos Dowling e Shiko

Qual o sentido disso tudo?

A imprensa disse: "O Rio está em guerra!" Taí um prato cheio pro sensacionalismo.
Mas, e as vidas perdidas? Quando são os bandidos que morrem é só um detalhe, não têm nomes, só rostos delinquentes. Aquela pregação de que "bandido bom é bandido morto" é uma aceitação à pena de morte, sem julgamento. Li por aí que os policiais não metralharam os bandidos porque tava tudo sendo transmitido pela TV ao vivo. Pega mal uma chacina ao vivo, né? Então não matamos pra não assustar os telespectadores, mataremos quando não tiver alguém "relevante" vendo!

Ninguém quer dominação do tráfico, queremos que a violência diminua ao máximo, abaixo de zero, não queremos que ninguém seja assassinado. Porém, para tentar alcançar o sonho da paz muitos MORREM pra ninguém morrer mais, sente o drama?
Isso foi uma grande REPRESSÃO, e repressão é movida à violência. Repressão (por si só) não resolve nada, talvez uma ação integrada dos setores investindo em educação, inclusão social, serviços públicos de qualidade, capacitação e ofertas para uma profissão diminua o índice de violência, mas não acho que acabará com ela. Todos sabemos que o "chefe do tráfico" e de todos envolvidos com o crime se formaram pela sua vivência ao meio do descaso das favelas. Moro numa, sei como é mais difícil. Daí partem pelo caminho que já conhecem bem de perto e que sabem que terão mais "sucesso". Mas o crime não se limita a classe social e disso sabemos bem também. O saldo bancário faz uma diferença gritante/berrante na hora do julgamento e na aplicação do "castigo".
Não existe dignidade quando uns estão à 30.000 pés e outros à 7 palmos. Há uma urgência em se abrir todas as portas possíveis e não a mais óbvia que se encontra sempre aberta. Essa deve ser trancada e a chave incinerada.

Mas não vou ficar apontando soluções sutis como foi a que se aplicou ao do tráfico, porque é algo extremamente complexo. Respostas prontas e curtas são fáceis. Talvez por isso que os jornalistas anunciaram a operação "pé na bunda de bandido" como uma GUERRA cinematográfica a la filme de ação, com um fortão fodão no comando. Com uma narrativa exagerada, como se só isso bastasse pro "bem" vencer o "mal" e a hipócrita/falsa sensação de segurança se espalhar no ar com a morte/prisão dos figurantes.

Portanto, se não forem postas em prática soluções mais beneficientes, nada disso que foi feito mudará a realidade dos morros/favelas. Outro moleque que está sendo criado do mesmo jeito que os chefões foram, mal crescerá e já estará dominando geral de novo, fazendo o tráfico se reestruturar. Daí a repressão é novamente aplicada, mais pessoas morrem e mais a mídia transforma todo esse caos numa tragédia glorificada pelas pessoas das classes mais elevadas. Digo isso por experiência vivida. Quando o rei morre, o filho assume o trono!

E novamente o favelado aparece como o vilão da sociedade religiosamente decente. O mesmo vilão que trabalha muito, mora mal, passa fome, tem a casa alagada... que faz a cidade se movimentar, e que só é lembrado pela grande massa quando assuntos como esse do Rio explodem manipulados pelas opiniões da mídia. Essas pessoas não criam os filhos para serem bandidos ou traficantes, nem para se viciaram em drogas (diariamente grupos de crianças fazem isso no portão da minha casa). Esses pais lutam pra que isso nunca aconteça, mas na maioria das vezes, a influência vem dos outros, que sofreram o mesmo e já foram deslumbrados (digo por experiência familiar).
Os pobres só são interessantes quando estão sofrendo/morrendo/matando/roubando/se prostituindo, são a escória a maioria das vezes por "não ter instrução"... Mas pouco barulho se faz quando algo é feito pra mudar essa realidade ou quando agarram-se oportunidades.

Por que a realidade só é legal de ser mostrada e assistida quando é uma realidade boa, sem problemas realmente necessitados de serem combatidos?
E o que leva as pessoas à tentarem a resolver as coisas usando ARMAS? A vida anda valendo quantos calibres? O que leva alguém a segurar uma arma e apontá-la como solução? Quem mata é melhor de quem morre?


Comodoro
"Ain't No Right"
Acabou O Bailinho
dir: Ricardo Carelli

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ela manda pensar, eu penso... Ela diz, eu acredito!

Teorias malucas que fui obrigado (por mim mesmo) a vomitar aqui:

Veio á tona e agora não se canse de repetir: #homofobiaNAO !
Mas, uma hashtag não vai mudar a cabeça mofante de nenhum dos machistas-religiosos-antiquadros. A lei, se aprovada, não acabará com a homofobia, apenas diminuirá os casos, se bem aplicada.

Mas, responda:
Se Globo fizesse uma novela em que os protagonistas fossem dois homens, e eles se amassassem do mesmo jeito que os casais HTs das novelas das 21hs? Pior: se eles fossem da perferia? Se eles fossem ateus?
Se eles fossem negros? Se fossem nordestinos retirantes? Se a novela fosse um sucesso gigantesco com repercussão mundial? Se o vilão fosse o típico trabalhador? Se?

O segredo pra mudar o pensamento homofóbico dos brasileiros se encontra em esfregar na cara de todos o quanto é NORMAL duas pessoas do mesmo sexo se AMAREM (se pegarem também, ué!) ???

Porque, se os meios de comunicação (Globo) quiserem, eles mudam a opinião da população, pois são eles quem controla a opinião pública. A maioria de nós somos/fomos/seremos educados por novelas, isso é fato.

Portanto, ser gay, negro, nordestino, ateu, pobre... se ELES disserem que é LEGAL DEMAIS sermos, nós seremos!!!

Daí nasce a liberdade: da TV! Internet é pra poucos... o rádio faliu...

(Sob efeito de Lítio!)

Exceção videoclíptica no blog para um curta feroz: "Vídeo produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich Ebert Stiftung remonta o curta ILHA DAS FLORES de Jorge Furtado com a temática do direito à comunicação. A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil."


Roteiro, direção e edição: Pedro Ekman
Produção executiva e produção de elenco: Daniele Ricieri
Direção de Fotografia e câmera: Thomas Miguez
Direção de Arte: Anna Luiza Marques
Produção de Locação: Diogo Moyses
Produção de Arte: Bia Barbosa
Pesquisa de imagens: Miriam Duenhas
Pesquisa de vídeos: Natália Rodrigues
Animações: Pedro Ekman
Voz: José Rubens Chachá

"Os canibais estão salivando"

Depois de morto, Luiz Carlos Alborghetti decide (involuntáriamente) participar de um clipe: "Viaturas Em Chamas", da banda paulista Seychelles.

A contribuição sutil de Alborghetti: “Que país é este caralho, cheio de falsos moralista e um povo sem memória, país que tem um dos maiores índices de impostos no mundo. Enquanto políticos continuam roubando... A novela da Globo é a maior putaria (...)”

Nada mais a dizer, aperte o play:

Seychelles (feat. Luiz Carlos Alborghetti)
"Viatura Em Chamas"
Seychelles III
dir: Ricardo Sêco

As Aventuras do Calango na Cidade

Essa é uma prova de que o Brasil tem ótimos e incríveis artistas e que merecem espaço maior na mídia:

Valmir Ribeiro de Carvalho, Bilora, nasceu em Santa Helena de Minas, Vale do Mucuri, divisa com o sul da Bahia, a poucos quilômetros da aldeia dos índios Maxakali. Ali viveu até os 28 anos em convívio com a cultura popular do lugar, como: batuques, folia de reis, cantigas de roda, festas juninas, etc. Atualmente reside em Contagem, MG.

É músico-violeiro-compositor. Tem três discos gravados: De Viola e Coração (1998), Tempo das Águas (2002) e o mais recente “Nas Entrelinhas”.

E ano passado, num projeto chamado Conexão Vivo Animações, Bilora ganhou seu primeiro clipe, da fodástica fábula do "Calango Na Cidade".


Bilora
"Calango Na Cidade"
Nas Entrelinhas
dir: Leonardo Catapreta

O clipe em animação, venceu o Primeiro Lugar da Premiação da ABCA e do Prêmio da Votação Popular do Conexão Vivo Animações. A direção e a produção ficou por conta de Leonardo Catapreta, que contou como foi o processo de criação do video:

“O processo foi muito simples. Eu parti de desenhos rápidos que eram feitos durante várias sessões de audição da composição do Bilora. Esses desenhos eram quase automáticos, brotando aos montes como uma catarse gráfica. A música tem esse caráter de fábula brasileira, é divertida, política e irônica, mas tudo girando em torno de uma narrativa. Eu optei por fazer algo direto, um espelho visual do que a música narra. Os desenhos que surgiram foram selecionados e finalizados para compor a história. A composição do Bilora em si já é muito "visual". A música foi a estrutura natural de tudo. Letra e música orientaram o design de personagens, de background, de objetos de cena, o ritmo da edição e a escala cromática. Foi o meu primeiro videoclipe animado. Tomara que seja o primeiro de muitos... Apesar de que eu não costumo assistir televisão, não conheço bem a MTV, sei que é um canal importante para esse universo musical e isso não é pouca coisa. Tomara que fique um tempo na programação pois essa música é muito boa, festiva sem ser alienada, "fofa" sem ser ingênua e política sem ser panfletária. As pessoas merecem ouví-la!”.
(fonte)

As pessoas têm que ouvir o som do Bilora, sô! É bão demais:
http://www.myspace.com/bilora