quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ela manda pensar, eu penso... Ela diz, eu acredito!

Teorias malucas que fui obrigado (por mim mesmo) a vomitar aqui:

Veio á tona e agora não se canse de repetir: #homofobiaNAO !
Mas, uma hashtag não vai mudar a cabeça mofante de nenhum dos machistas-religiosos-antiquadros. A lei, se aprovada, não acabará com a homofobia, apenas diminuirá os casos, se bem aplicada.

Mas, responda:
Se Globo fizesse uma novela em que os protagonistas fossem dois homens, e eles se amassassem do mesmo jeito que os casais HTs das novelas das 21hs? Pior: se eles fossem da perferia? Se eles fossem ateus?
Se eles fossem negros? Se fossem nordestinos retirantes? Se a novela fosse um sucesso gigantesco com repercussão mundial? Se o vilão fosse o típico trabalhador? Se?

O segredo pra mudar o pensamento homofóbico dos brasileiros se encontra em esfregar na cara de todos o quanto é NORMAL duas pessoas do mesmo sexo se AMAREM (se pegarem também, ué!) ???

Porque, se os meios de comunicação (Globo) quiserem, eles mudam a opinião da população, pois são eles quem controla a opinião pública. A maioria de nós somos/fomos/seremos educados por novelas, isso é fato.

Portanto, ser gay, negro, nordestino, ateu, pobre... se ELES disserem que é LEGAL DEMAIS sermos, nós seremos!!!

Daí nasce a liberdade: da TV! Internet é pra poucos... o rádio faliu...

(Sob efeito de Lítio!)

Exceção videoclíptica no blog para um curta feroz: "Vídeo produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich Ebert Stiftung remonta o curta ILHA DAS FLORES de Jorge Furtado com a temática do direito à comunicação. A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil."


Roteiro, direção e edição: Pedro Ekman
Produção executiva e produção de elenco: Daniele Ricieri
Direção de Fotografia e câmera: Thomas Miguez
Direção de Arte: Anna Luiza Marques
Produção de Locação: Diogo Moyses
Produção de Arte: Bia Barbosa
Pesquisa de imagens: Miriam Duenhas
Pesquisa de vídeos: Natália Rodrigues
Animações: Pedro Ekman
Voz: José Rubens Chachá

Um comentário:

Girassol disse...

Querido Adriano,

Sua teoria faz sentido, pois a TV, ainda no Brasil, é o meio de comunicação mais massivo. Atinge todas as camadas da população. Porém, p mim não extinguiria o problema.

Analisando os últimos fatos acontecidos no Brasil e veículados na mídia( aleternativa e tradicional): essa onda de intolerância religiosa/homofobica etc. Penso q o problema é mais crônico e não é um veiculo massivo q irá resolve-lo. Pois é questão cultural, religiosa, etnica e de preceitos morais. Compreende?

Meu irmão sempre diz uma coisa legal, tenta enxergar pela ótica deles p tentar achar o X do problema...E tentando fazer isso nestes últimos dias, percebo que o problema todo, principalmente no Brasil, tá numa palavra chamada acesso...E o preconceito q mais pesa é o social, o estigama da favela. Se vc é negro, homo mas tem grana...vc é aceito. Mas senão tem grana tá ferrado...E o que a maioria não aceita é este acesso...esta inclusao social, cultural, economica.Isso os fere. O resto é consequencia desse odio.

Qualquer forma de segregação é violenta e dói. O q temos q fazer é educar a criançada...Dificilmente estes preceitos morais mudam em adultos. Infelizmente.

O importante é isso...Discussões e textos bacanas como o seu p podermos dialogar...sempre respeitando o outro. As diferenças. Enfim...Aprendi a não me achar melhor q ninguém porque penso diferente da maioria...sou apenas diferente. Se limitasse meu pensamento já estaria sendo preconceituosa ou arrogante. E não quero isso...Respeitando é q se consegue respeito. Claro q às vezes perco o juizo tb...sou humana e não uma linha tenue e sensata. Sou passional...beijosss e adorei o vídeo.
ei! Vc escreve muito bem...:) beijosssss