sábado, 8 de janeiro de 2011

Retrô VideoClíptico 2010: Grafias, Tipografias, Colagens e Fusões

O uso da letra, da palavra, de símbolos, recortes, colagens e fusões de imagens, creio eu, seja uma tendência de uns anos pra cá, desde o lançamento de "D.A.N.C.E." e "DVNO", dos franceses do JUSTICE.
Ano passado (2010), isso se firmou mais ainda, já que a criatividade dos designers vêm enxergando cada vez mais o clipe, que pra mim, é o meio de experimentações visuais mais democrático do mercado audiovisual. Prova disso, foi surgimento dos clipes virtuais feitos com a tecnologia da linguagem HTML5.
Fora que o resultado desses clipes é sempre legal de assistir e pode acabar sendo até mais barato e simples de se produzir.
Na 7ª playlist do Retrô 2010 vamos ver os clipes que interagem com você e que, por vezes, ficam até maiores que a música!


A ascenção e queda de uma banda! Um manual de como fazer sua banda estourar e acabar com sua carreira, logo na sequência, todo feito com ilustrações, imagens e legendas:

Jamaica
"I Think I Like U 2"

dir: So-Me & Machine Molle



E se o mundo virtual chegasse ao real? Certamente seria assim, pra trocar de roupa, sair com os amigos, ir pra balada... E o melhor: você clica na pessoa e ela vira sua seguidora! Isso me lembra um certo Twitter que tem por aí:

The Toxic Avenger feat. Orelsan
"N'Import Comment"

N'Import Comment
EP
dir: David Tomaszewski

Ainda no clima Internético, um site tão grande que você cabe dentro:

3OH!3
"Double Vision"
Streets Of Gold
dir: Evan Bernard


Com quantas linhas rítmicas se define uma música instrumental?:

Tomasz Stánko Quartet
"Grand Central"
dir: Katarzyna Kijek & Przemyslaw Adamski


Até senti a chuva caindo sobre mim enquanto assistia ao clipe... foi um banho delicioso!

Ira Atari & Rampue
"Dance In The Rain"
Just F***in Dance It



Colagens, sobreposições de imagens, rock 'n' roll, alguns abraços e uma valsa para apresentar as Mujeres:

Mujeres
"L.A."
dir: Lope Serrano


Usando a mesma técnica de colagem, sobreposição e saturação de imagens e perfis, os "Irmãos Químicos" lançaram esses dois videos:

The Chemical Brothers
"Swoon"
Further
dir: Adam Smith & Marcus Lyall

e +
Nesse, foi a computação gráfica que dançou:


The Chemical Brothers
"Another World"
Further
dir: Adam Smith & Marcus Lyall




Uma viagem gráfica pelas grandes capas de disco da Motown, cartazes, flyers e capas de revistas com uma deliciosa trilha sonora:

Ben L'Oncle Soul
"Soulman"
dir: Nassim Maoui y Christophe Metz



Marina fez seu gibi (ou comic) pop pra criticar o consumismo supérfulo das mulheres. Só não sei se captaram a mensagem:

Marina & The Diamonds
"Oh No!"
The Family Jewels
dir: Kinga Burza


Pra fazer o clipe de Rollercoaster, o Poom reuniu capas, fotos e propagandas da revista Salut Les Copains e inseriram seus rostos no lugar do rosto dos modelos originais. É tipo aquela brincadeira de recortar revistas e fazer colagens surreais, sabe?

Poom
"Rollercoaster"
dir: Côme De Bouchony


Aqui, pegaram cães de rua abandonados e não-amados e os transformaram em estrelas sonhadoras do videoclipe que perguntam: "Vocês pararam de nos amar. Por que fizeram isso?"
Burns feat. Fred Falke
"YSLM (You Stopped Love Me)"


O Destemido Wallace fez sua declaração de amor à ele mesmo refletindo a letra na parede branca que arrepiou-me:

Destemido Wallace
"Declaração De Amor (Próprio)"
A Incrível História Humana
dir: Pedro Gaspar


O Muse fez uma instalação cheia de lâmpadas, cabos, e outra parafernálias eletrônicas só pra ilustrar o que sente numa tela de TV:

Muse
"Undisclosed Desires"
The Resistence
dir: Jonas & François


Isso que chamo, definitivamente, de pisar na cultura pop:

Audio Bullys
"Only Man"
Fake Piece
dir: Jonas & François


Rabiscou, recortou, colou, pintou e dançou:

Kele
"On The Lam"
The Boxer


E quem é que fica rabiscando a tela, hein?

The Name
"Let The Things Go"
dir: Caetano Gottardi e Carlos G. Gananian


Ele veio cheio de influências das redes sociais, pedindo pra ser ADD no nosso subconsciente virtual, mas será isso uma crítica ou um elogio?
Tirando essa parte que não entendi, o clipe foi bem produzido e cheio daqueles GIFs animados irritantes que o povo manda pro Orkut. E a famosa tela do YouTube vem hipnotizante (querendo dizer que o YouTube nos hipnotiza?) e que ao chegar ao fim do clipe, aquele recadinho de quem foi aceito no Orkut: "Thank you for adding me" ou "Obrigado por ter me adicionado".
De nada, M.I.A...

M.I.A.
"XXXO"
/\/\ /\ Y /\
dir: Hype Williams


Uma pequena revistação à coleção de LPs estilizados.

Kraak & Smaak feat. Sebastian
"Dynamite"
Dynamite
dir: Superelectric / Henk Loorbach


A vibe artesanal deste clipe "mix-mídia" pode parecer non-sense e mal-feita. Mas não posso negar que fica estranhamente atraente e mais e mais elaborado e complexo ao longo do video.
Cabeças decepadas, alastrando paisagens construídas a partir de recortes de revistas e outros detritos impressos são manipulados de várias maneiras.
Enfim, é um clipe "faça-você-mesmo-meio-bobo", mas que funciona graças ao seu encanto e à falta de pretensão.

Oars
"Karats"
Oars
dir: So Spun We Spun West


Esse é o primeiro videoclipe feito pra colorir. Genial!
O diretor Eli Stonberg incorporou dentro do clipe aqueles desenhos para colorir que a gente pintava na pré-escola, mas esse é virtual, musicalizado e interativo.
Essa é a versão oficial do clipe, mas você pode fazer a sua própria obra de arte clicando aqui. Daí você pode compartilhar com seus amigos, imprimir e por em exposição na sua geladeira. Divirta-se!

Au Revoir Simone
"Knight Of Wands"
Still Night, Still Light
dir: Eli Stonberg



E pra encerrar, os clipes virtuais, feitos com a tecnologia HTML5 que, quem sabe, vire um novo modo de videoclipar uma música:

Através do site The Wilderness Downtown você entra numa experiência única e assustadora ao mesmo tempo, que o leva numa viagem através do seu browser:
Não dá pra incorporá-lo, então clique aqui para assistí-lo e lembre-se: você precisa de uma boa conexão e utilizar o Google Chrome, porque exige muito do seu computador. Boa viagem!

Mas, se vc é preguiçoso ou não tem o Chrome instalado... é tipo assim que funciona:

Arcade Fire
"We Used To Wait"
The Suburbs
dir: Chris Milk & Google


Como o o clipe do Arcade Fire, esse também usa a tecnologia HTML5, e é um projeto artístico-experimental do diretor Paul Kamuf. A música foi composta por John Pugh, membro do grupo de música experimental (bem legal) Free Blood.
Através do seu navegador (esse não é exclusividade do Chrome), brota uma janela cinética que flutua e dá formas ao virtualclipe, preenchido com imagens lúdicas e um texto literal para a vida. Preparado?
Assista "Light, As A Feather".


E por fim, esse é "Mirror", o clipe virtual da banda japonesa Sour. Uma experiência interativa unindo Facebook, Twitter e Webcam, e mais uma pá de coisa – talvez um pouco mais leve do que o feito pelo Arcade Fire. Seus contatos das redes sociais se transformam em você. A experiência se tornaria melhor se fosse possível compreender a música.
Esse também só pode ser visto no Chrome ou no Safari. Clique aqui pra ver


Sour
"Mirror"
dir: Masashi Kawamura, Qanta Shimizu, Saqoosha & Hiroki Ono

Os Videoclipes e suas manias de grandeza... Até a próxima lista...

Nenhum comentário: