quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A vida acontecendo depois dos 60

Consumo de substâncias ilícitas e de bebidas alcoolicas aos montes, cenas de surubas, os sete pecados capitais, muito luxo e uma música incrívelmente entorpecedora.

Acha que eu tô falando de uma festinha cheia de pessoas jovens e na flor da juventude das experimentações? Que nada. Essa terceira idade tá perdida:


Felix Cartal
"World Class Driver"
Popular Music
dir: Josh Forbes

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Videografia do Muchachito Bombo Infierno

Muchachito é um músico espanhol que tocava pelas ruas e tinha uma banda rasa chamada Trimelón de Naranjus, em que tocava guitarra, cantava e ainda tocava uma bateria que ele mesmo fez, mas não via sua carreira ir muito longe. Muchachito cansou-se. Resolver que ia ter uma super-banda.
Do mesmo calderão que saiu Manu Chao, Muchachito foi atrás de músicos ali e acolá da Espanha e acabou por encontrar pessoinhas das bandas mais legais do cenário espanhol: Tito Carlos (teclas), Josué "El Ciclón" (trompete), Hector Bellino (bateria), El Lere (contrabaixo), acompanhados pela "Gigoleto Brass" (saxofones), Martin "Lusurius" e David "El Niño" (trombones), Oscar Bass e Alberto "El Jaguar Del Paralelo" (trompetes) e formou o Muchachito Bombo Infierno.
Mas cê acha que isso enchia o palco do Muchachito? Que nada! Ele ainda assume os pincéis nos shows e pinta quadros enquanto a banda toca sua mistura de rumba catalã, rock e reggae.
E cê achou que o Muchachito ficou contente com uma banda só? Acabou se juntando com os amiguitos das bandas Los Delinqüentes e Tomasito pra formar o G-5.

"O músico dos pincéis", como é chamado lançou ano passado este fodão clipasso todo desenhado e montado a mão que deu um resultado bem cafajeste:

"La Noche de Los Gatos"
Idas Y Vueltas

dir: Jonathan Perera Viedma



Esse clipe, a mocinha apresenta:

"Tiras De Mi Corazón"
Idas Y Vueltas
dir: Requetechunai Picturs & Berberecho Productions



Mas o Muchachito gosta mesmo é de tocar na rua:

"Azul"
Visto Lo Visto (2007)



Ele também sabe pilotar aviões:

"Aire"
Visto Lo Visto



Nesse clipe-colagem, a gente vê que além de tocar, cantar, pintar e pilotar o Muchachito também sabe dançar:

"Será Mejor"
Vamos Que Nos Vamos (2005)



No fim, o Muchachito quer mesmo é tirar um sarro e se divertir, que nem o Tarantino:

"Paquito Tarantino"
Vamos Que Nos Vamos
dir: Requetechunai Picturs

Não pisque!

Para assistir ao novo clipe do Aston Shuffle, você clica no play, prende a respiração e não pisca, senão vai perder a transição de um desenho pro outro:


The Aston Shuffle
"Your Love"
dir: Maxime Bruneel



Conseguiu ver bem? Você tentou demais manter o controle. Apenas relaxe e aperte o play:

The Japanese Popstars feat. Green Velvet
"Let Go"
We Just Are
dir: David Wilson



Desenhado inteirinho em folhas de caderno e desenhado pelo grafiteiro Titi Freak... pra não perder nenhum detalhe é melhor não piscar:

Nando Reis e Os Infernais
"O Mundo É Bão Sebastião"
MTV Ao Vivo
dir: Titi Freak



Pronto, pronto... pra relaxar a vista, assita a esse agora:

Marisa Monte
"Diariamente"
Mais

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Aniversário de Kurt Cobain: Videografia do Nirvana

20 de fevereiro é aniversário de um dos mais fodões rockeiros do mundo da música: Kurt Cobain, que se estivesse vivo completaria 44 anos. Banda essa, que estorou em 1991 com seu segundo álbum, o "Nevermind" e trouxe consigo toda uma cultura denominada banal, vulgar, suja e vândala: o GRUNGE. O sucesso do grunge trouxe de bônus várias outras bandas do mesmo estilo, como Alice In Chains, Pearl Jam e o Soundgarden e levou a "música alternativa pras lojas de disco.
Kurt Cobain, viu-se ungido pela mídia como porta-voz da geração X, mesmo contra sua vontade.

Durante os últimos anos de sua vida, Cobain lutou contra o vício em heroína, doenças, fama e imagem pública, bem como as pressões ao longo da vida profissional e pessoal em torno a si mesmo e de sua esposa, a cantora Courtney Love. Em 8 de abril de 1994, Cobain foi encontrado morto em sua casa em Seattle, vítima do que foi oficialmente considerado um suicídio por um tiro de espingarda na cabeça. As circunstâncias de sua morte, por vezes, tornam-se um tema de fascínio e debate. Desde sua estréia, o Nirvana, com Cobain como compositor, vendeu mais de 25 milhões de álbuns nos Estados Unidos, e mais de 50 milhões em todo o mundo.

O primeiro clipe a ser gravado pelo Nirvana foi pra música In Bloom, mas na real foi lançado mundialmente depois do estouro de Smells Like Teen Spirit.
Kurt odiou essa versão do clipe, por terem dito que ele ficou parecido com o pai, com quem ele não tinha uma boa relação. Uma segunda versão foi feita, que veremos mais pra frente.

"In Bloom (vr. 1: dresses)"
Nevermind
dir: Kevin Kerslake


O carro-chefe pra fama e a subida do Nirvana do underground pro mainstream foi o clipe Smells Like Teen Spirit, onde alunos destroem uma escola[saiba mais sobre clicando aqui]. O clipe se tornou a marca registrada do grunge:

"Smells Like Teen Spirit"
Nevermind
dir: Samuel Bayer



Sem muita produção, Come as You Are veio pra ilustrar a capa do Nevermind:

"Come As You Are"
Nevermind
dir: Kevin Kerslake


Na real, a banda achava um saco gravar videoclipes, então Lithium foi lançado com cenas dos shows e mostra perfeitamente como era o Nirvana no palco: quebrava tudo!

"Lithium"
Nevermind
dir: Kevin Kerslake & Mark Racco



Depois de um tempo engavetado, a segunda versão de In Bloom foi lançada. Kurt chegou a proibir o lançamento da 1ª versão só pelo fato de ter ficado parecido com o pai. Regravaram o clipe no mesmo cenário, só que quebraram tudo. Gravado de uma vez, o resultado acabou ficando melhor do que a primeira versão: só quebradeira!

"In Bloom (vr. 2: smashing instruments)"
Nevermind
dir: Kevin Kerslake



Em 1992, veio o terceiro álbum do Nirvana, o Incesticide, com gravações raras lançadas em bootlegs no início da banda. Ainda sob o impacto do Nevermind, que desbancou o Michael Jackson das paradas, esse álbum não teve uma forte divulgação da gravadora.
O clipe mostra o Kurt contando quando seus pais o deixaram a avó pra dar um rolê:

"Sliver"
Incesticide
dir: Kevin Kerslake



Mas já em 1993, o quarto e último álbum de estúdio do Nirvana saiu, com o melhor clipe daquele ano: Heart-Shaped Box, dirigido pelo cineasta Anton Corbijn e com referências a morte e a religião. Leia mais sobre o clipe aqui.

"Heart-Shaped Box"
In Utero
dir: Anton Corbijn



Em 1994, meses antes da morte de Kurt, o Nirvana gravou o histórico e até depressivo MTV Unplugged. O palco com pouca luz e cheio de velas foi ideia do próprio Kurt. O acústico tem uma atmosfera única e interpretações arrepiantes da banda e alguns covers da banda de que Kurt mais curtia, o Vasoline, que acabaram ficando famosas graças à interpretação dilacerante. Três músicas deste acústico viraram clipes:

"All Apologies"
MTV Unplugged
dir: Beth McCarthy




"About A Girl"
MTV Unplugged
dir: Beth McCarthy




"The Man Who Sold The World"
MTV Unplugged
dir: Beth McCarthy




Os três últimos clipes do Nirvana são póstumos, lançados respectivamente em 1996 e 2002.

Tirados do único album ao vivo do Nirvana, Aneurysm e Drain You deixaram um sentimento de perda e o grunge, acredito eu, durou só enquanto Kurt quis que durasse.

"Aneurysm"
From The Muddy Banks Of Wishkah
dir: Milton Lage





"Drain You"
From The Muddy Banks Of Wishkah
dir: Milton Lage



Após várias brigas na justiça pelos direitos autorais, em 2002 finalmente foi lançada You Know You're Right, música inédita do Nirvana até então. O clipefoi feito só com colagens de gravações dos shows mas que realçou a potência das performances da banda. A voz única, intensa e inconfundível de Kurt reapareceu no último clipe do Nirvana:

"You Know You're Right"
single
dir: Chris Hafner



Se pudesse trocar, com certeza mataria o Justin Bieber e traria Kurt de volta. Mas tenho certeza que ele não vai querer voltar pra esse mundo de merda.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Dando adeus às paixões virtuais

Poly Styrene é o nome de uma moça que há mais de 30 anos não se ouve falar no mundo da música. Fazia parte da bacana banda setentista X-Ray Spex e resurgiu esse ano, lançando seu primeiro clipe pro novo álbum.
Apesar de ter ficado afastada tanto tempo, ela tá ligada que as paixões virtuais já eram. Aliás, nunca foram. Essa é a ideia do clipe cheio de colagens de imagens, sobreposições ultra-estonteantes, bitmaps anos 80 e uma desconstrução total do namoro virtual tão em alta, atualmente.

É isso aê, pra vida virtual perfeitinha que você leva até vale encarar uma paixão virtual. Mas se você realmente precisa ser tocado por outro humano e amar a carne, afasta o computador, dá play e desconstrua todo seu amor amerzenado nos terabytes do seu coraçãozinho:


Poly Styrene
"Virtual Boyfriend"
Generation Indigo
dir: Ben Wheele

Entre negativos e raio-x

Já viram um negativo de filme de máquina fotográfica? Tem um efeito bem legal onde as cores se invertem e ficam flourescentes e cria todo um clima futurista bizarro. Essa é a ideia desse clipe: uma recriação visual:




Alpines
"Drive"
dir: Hope Audikana


Outro clipe que utiliza o mesmo recurso é este do Tandemoro, só que neste há a ausência das cores impactantes e um preto-e-branco flourescente narra a viagem:

Tandemoro
"Diamonds"
Mexican Motown

dir: A Nice Idea Everyday



Pra encerrar, um clipe que tem o efeito parecido com os anteriores, mas com uma técnica diferente: o raio-x. Uma máquina de motion capture (parecida com aquelas usadas em aeroportos)onde os atores são filmados com sinalizadores que orientam os modelos digitais construídos em cima de seus movimentos acaba revelando os esqueletos dos integrantes do Pato Fu: simples e tecnológico!

Pato Fu
"Anormal"
Toda Cura Para Todo Mal
dir: Jarbas Agnelli

Videoclipe Onírico

Numa atmosfera tensa, pesada e por vezes, sombria e mística, este clipe pode realmente ser chamado de "obra de arte". Talvez um pouco darkpop e exagerado, mas com uma direção de arte e fotografia impecáveis que lhe o torna digno de replays não é exagero algum o chamar de "arte onírica", já que pra mim, ele supre todas as carências subjetivas.


Pentatones
"The Devil´s Hand"
dir: Dietmar Thal e Kristin Herziger

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O Culto Frenético

Os fiéis se dirigem a igreja, cheios de problemas físicos, financeiros e emocionais. O pastor prega os ensinamentos divinos aos abastados de uma forma frenética e usa suas abençoadas mãos de robô cristão para curar suas enfermidades e expulsar todos os demônios do corpo, nesse clipe com uma edição impecável e divertida. Digno de replays... Amém!



Starkey
"Robot Hands"
dir: Josh Cohen

A História da América num Videoclipe

É a história da América, a partir da Guerra Civil, passando pela Revolução Industrial e mais e mais e mais, até chegar nos dias atuais, dos quais nós passamos apoiados em nossas bundas enquanto o mundo desmorona. Essa é a ideia do clipe, que mostra o quanto a História só possuem falhas, disputas de poder e violência. É um mix-mídia numa tour-de-force.
Tô ligado que só vai curtir mesmo o clipe quem gosta de História, mas a música eletrônica do Wolfgang Gartner vai te fazer pensar mais na dança do que no conceito histórico.
Digno de replays e de estudos:



Wolfgang Gartner
"Illmerica"
Illmerica EP
dir: Ryan McNamara

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Libertando-se da liberdade

Essa é uma animação feita pra ilustrar o clipe da banda dreampop indie Young Galaxy, com a intenção de nos mostrar o quanto o mundo é injusto: Nos esforçamos para sermos bonitos e andarmos na moda, nos apaixonamos por objetos e pessoas que sequer sabemos que existimos, tentamos nos comunicar e não somos nem vistos, somos trocados por bens materiais, não nos convidam nem pra ler os jornais...

Daí, pegamos um ônibus qualquer num dia calmo pra nos sentirmos livres, sem ter que escolher o destino. Esse busão vazio nos leva ao céu. O vento da liberdade entra pela janela, da qual colocamos a cabeça pra fora para nos sentirmos mais e mais LIVRES, até que um poste acaba com nossa alegria.

Agora morto, logo nem temos nem mais o direito de termos um corpo... mas Deus é bonzinho e como você foi um coitado, ele te recebe e te dá uma função que te deixa se sentir livre novamente: motorista do ônibus celestial!




Young Galaxy
"We Have Everything"
Shapeshifting
dir: Sinbad Richardson