quinta-feira, 17 de março de 2011

Profissão: Puta

Enquanto alguns rappers e MCs se desfazem e até tratam o corpo feminino como uma mercadoria e objeto de posse em meio à rimas e batidões, eis que vem o Emicida com um clipe que mostra bem o que eu conheço de perto: a labuta de algumas mulheres da periferia (ou do centrão)que encontraram na prostituição um meio para levar a vida. Sob o descaso público, a ótica de uma vida suja e a exploração cafetina de ambos os lados da balanaça social, poucos respeitam essa que, nem profissão é considerada.

Ninguém para mesmo pra enfiar na cabeça que nenhuma mulher / travesti gosta de ceder o corpo para um desconhecido se aproveitar e gozar suas necessidades sexuais. Até mesmo aquelas que dizem que gostam da profissão, não reparam de fato que são fichas do machismo, da criminalização da pobreza e da exploração do mercado de trabalho. Mulheres se dispõem a essas circunstâncias porque é um modo fácil de ganhar dinheiro? Não. Basta olhar em volta, pra fora da sua bolha que as respostas pipocarão na sua cara, amigão: pobreza, porqueira capitalista, e a mídia também... Mas por que desse jeito? A burocracia e a exigência de qualificação para se ter um "emprego digno" (como dizem) não fez parte da preparação delas. Muitas não estudaram, não tem família, foram expulsas de casa ou simplesmente foram enganadas para servir-se como um lanchinho da madruga, com promessas fúteis de uma vida melhor, no Brasil ou no exterior.


Também não vemos que muitas dessas mulheres não tem apoio algum, de ninguém, para criarem seus filhos. Julgamos que elas não têm nem família. No clipe da música "Rua Augusta", o Emicida mostra bem essa realidade abafada e mesquinha. Se juntaram, gravaram cenas na Rua Augusta e na Vila Mimosa, no RJ, os mais famosos points da prostituição do Brasil e encontram a protagonista real do clipe: Rosana, mostrando na real como é foda viver desse jeito e que faz por questões de sobrevivência e não porque gosta. O clipe dará origem a um documentário fora de circuito cinematográfico, com depoimentos recolhidos na Vila Mimosa.

A rua é nóis, e esse clipe mostra que a gente tem tudo a ver com a situação social do Brasil, e que dizer a verdade é o primeiro passo para desconstruir visões opacas e deturpadas das classe que todos pisam, mas ninguém quer sujar o sapato, porque dá trabalho limpar. Dá play aê:

Emicida
"Rua Augusta"
Emicídio
dir: Felipe Rodrigues e Lucas Gandini

Nenhum comentário: